sábado, 20 de fevereiro de 2010

DIÁLOGO: O CRENTE, O ATEU E O AGNÓSTICO

Admira-me tanta prepotênciaExibida com tanta insistênciaNegar de Deus a existênciaSe soberbamente vives da Divina Assistência. Senhor Ateu. Admira-me tamanha indiferençaPara aceitar de Deus a existênciaSe soberbamente vives da Divina ProvidênciaTu pra quem tanto faz saber de Deus a existência. Senhor Agnóstico. Admira-me os senhoresDe cultura tal detentoresUm negar e outro duvidarSer Deus de tudo a causa primeira. Caríssimos Senhores. Senhores há de se crer sem ilusãoQue o mundo e o que nele háVeio surgir organizado e belo de uma explosão?A Inteligência Suprema não é fato melhor de se aceitar? Estimados Senhores. E do senhor que demonstra para a existência de Deus indiferençaPor que pelo menos não apresenta qualquer teoria que faça diferença?Assim levando a vida tendo a descrença como galhardiaNão demonstra desse modo uma vida de tamanha covardia? Refiro-me ao senhor, Agnóstico. Não lhe admira que sua teoria, senhor ateuNecessite de bilhões de anos para se explicarE mesmo depois de tanto tempo explicação sensata não há?Mas a minha se explica pela ação Divina criando tudo em sete dias. O senhor indiferente tem alguma explicação?Creio a sua é mesma se sair de toda questãoFazendo-se indiferente para não ter que me dar a razãoA mim, homem simples que dou crédito a Deus pela criação. Com tanta inteligência que tu pensas te ser própria, Senhor AteuFaço a ti as mesmas perguntas que Deus a Jó submeteu.Não será para ti matéria pesada acostumado que és a sair de ciladas.Não as faço para ti, senhor indiferente, cansarias muito mais, alma enfadada. Quem pôs limites ao mar, dizendo: só até aqui virás?Quem deu ordem à madrugada e a alva o seu lugar?A chuva porventura tem pai? Quem gerou as gotas do orvalho?Não vai me dizer, caro senhor, ser do acaso todo trabalho? Se insistires em dizer que é do acaso toda a obra a criaçãoDizendo-te sábio ostenta pensamentos vãos.Teus fatos carecem de sólidos fundamentos. São todos ilusão.Abandonem, senhores a descrença e a indiferença. O fim é a condenação. Caros senhores, Ateu e AgnósticoOuçam o que diz o Supremo:O perverso na sua altivez não investiga:Que não há Deus, são todas os seus pensamentos. Os ímpios ateus e agnósticos serão lançados no inferno, E todas as nações que se esquecem do Deus Eterno. * As citações bíblicas neste poema são do livro de Jó capítulos 3-40; Salmos 9 e14. Autoria: Luiz Flor dos Santos, pastor na cidade de São Gonçalo do Amarante, Ceará na Igreja Batista Fundamentalista Cristo é Vida. CONHEÇA OS BLOGS DO PASTOR LUIZ

Nenhum comentário: